Quando doer, ore!

29-dezembro Espiritual

“E o Senhor feriu a criança que a mulher de Urias dera à luz a Davi; e a criança adoeceu gravemente. Buscou Davi a Deus pela criança; jejuou Davi e, vindo, passou a noite prostrado em terra.”  II Sm. 12:15b-16

Imagine a dor de Davi: seu filho estava doente e jurado de morte; mas a morte de seu filho seria uma consequência de seu pecado contra Urias e sua esposa. A dor de Davi foi tamanha que ele descreve no livro dos Salmos que os ossos dele envelheceram por causa dos gemidos de dor e o vigor dele se acabou completamente enquanto ele não confessou seu pecado (Sl 32). Por causa do pecado, a dor entrou no mundo. A dor, na maioria das vezes não é física, mas é uma dor que dói onde apenas você e Deus sabem.

Essa era a dor de Davi. Uma dor que apenas ele e Deus conheciam, pois doía dentro do peito. Todavia, a maneira que ele lidou com essa dor foi através da oração. Ele buscou ao Senhor, mesmo sabendo que sua condição era de pecador. Portanto, nos momentos que a dor bater, devemos orar. A oração é o canal de Deus para que nos aproximemos dele e desfrutemos de sua paz. Não há cuidado para corações feridos longe de Cristo, e a maneira de nos aproximarmos dele é orando. Haverá um dia que Ele mesmo enxugará dos nossos olhos toda a lágrima. Mas enquanto esse glorioso dia não chega, devemos colocar diante dele nosso sofrimento, a fim de sermos tratados por sua maravilhosa graça.

Marcos Vinícius de Paula Costa