Sentimento de vazio e frustração

04-setembro Espiritual , Saúde

Muito comum é sentirmos vontade de ser, fazer, buscar e ter coisas que desejamos, é até muito bom que tenhamos iniciativa, que sejamos proativos e busquemos recursos para conquistar desejos e sonhos fazendo com que se tornem realidade. No entanto, o que anteriormente seria algo benéfico algumas muitas vezes sem chance de retorno.

Diariamente lemos e ouvimos notícias sobre pessoas bem sucedidas e até muito bem financeiramente, ou com família bem estruturada, filhos, netos, esposas, maridos, enfim, com “tudo” que uma pessoa poderia sonhar em ter e acabam cometendo suicídio ou afirmando que não são felizes, que ao contrário, são extremamente insatisfeitas com sua posição social ou profissional ou coisa parecida.

Não vamos generalizar aqui, afirmando que todo suicida cometeu tal ato, tendo êxito ou não, por não sentir completude em sua situação de vida ou em sua percepção de valorização dos bens materiais que possui etc. Existem, de fato, distúrbios psiquiátricos que podem levar o sujeito a praticar o suicídio independentemente de sua reflexão sobre a própria vida ou das que o circunda, mas o propósito aqui é de relatar uma conduta extremamente comum entre as pessoas que as levam a uma percepção equivocada da própria visão de vida em relação a si mesma.

A esperança de que um “objeto” irá trazer satisfação plena e que com isso preencherá o vazio que carrega dentro de si, é sem dúvidas, o grande pilar do assombroso equívoco que um ser humano pode cometer. Tal objeto pode ser uma pessoa, um carro, uma calça, uma casa, um casamento… E com o tempo o sujeito que aplicou sua esperança em tais “objetos” inicia a triste realidade de que apostou em algo que mais uma vez o decepcionou! Todos os dias cometemos esse grandioso erro! Quase se pode generalizar que todo ser humano já se decepcionou amargamente com alguém por esperar dele o retorno que lhe foi depositado, por achar que se conquistasse isso ou aquilo não teria mais a sensação de vazio que cada um, em intensidade diferente, tateia dentro de si por ser um sentimento avassalador que nos faz buscar todos os dias tudo menos a Jesus que é de fato o que preenche toda e qualquer demanda humana, independente de sua natureza. Não por dar o que queremos, mas por doar o que precisamos que é a salvação através do sangue Dele derramado na cruz. Porque somente Ele É O caminho, A verdade e A vida e não somente um “objeto”, pretendendo se encaixar em Seu lugar.

Rodrigo Martins Pereira

Psicólogo