Um Deus de delícias perpétuas

15-agosto Espiritual

“E prometi tirá-los da aflição do Egito e levá-los para a terra do cananeu, do heteu, do amorreu, do ferezeu, do heveu e do jebuseu, para uma terra que mana leite e mel.”  (Êxodo 3.16)

Tem horas que passamos por paisagens de tirar o fôlego como se não houvesse nada de arrebatador ali. Observe essa mensagem de vida, alegria e doçuras: Ele não apenas iria libertar o Seu povo, mas o conduziria a uma terá que “mana leite e mel”. Um lugar de prosperidade, alegria, cheiros e sabores, um lugar de descanso, uma libertação dos dias amargos e dolorosos do cativeiro, experimentados no cotidiano rotineiro da vida.

As Escrituras nos ensinam que a terra geográfica onde Israel está plantado, não tinha um fim em si mesma, era uma mensagem escatológica e plena dos tempos de alegria perpétua no Novo Céu e na Nova terra. O autor aos Hebreus nos alerta que o próprio pai Abraão, viveu como em terra alheia, porque esperava na cidade celestial, da qual Deus é o arquiteto.

A mensagem que temos recebido sobre esse lugar é que não haverá mais choro, que toda lágrima será enxugada, que não haverá mais morte, nem dor, que Deus habitará no meio do Seu povo. Um lugar de felicidade sem fim, de propósitos eternos, de delícias perpétuas. Como é maravilhoso saber que os que estão em Cristo, sem dúvida alguma, terão um final feliz! Como é bom saber que o Senhor nos criou para a liberdade, amor, prazer e felicidade Nele, e que tem um lugar de descanso para o Seu povo. Devemos viver esperando, ansiosamente, pela chegada desse Novo Céu e dessa Nova Terra.

Motivos de oração: Peça ao Senhor que ressuscite em seu coração o desejo pelo prazer que Ele proporciona e que a sua alma e seu corpo atribulados almejem a vinda do Senhor Jesus e do Seu descanso eterno.

Jakstone Carvalho Braga